Definições dos Cookies

Lei Geral de Proteção de Dados

O que são cookie?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site. Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem as funcionalidades centrais, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Esses cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Cookies Primários

Alguns cookies serão colocados em seu dispositivo diretamente pelo nosso site - são conhecidos como cookies primários. Eles são essenciais para você navegar no site e usar seus recursos.

Temporários

Nós utilizamos cookies de sessão. Eles são temporários e expiram quando você fecha o navegador ou quando a sessão termina.

Finalidade

Estabelecer controle de idioma e segurança ao tempo da sessão.

Persistentes

Utilizamos também cookies persistentes que permanecem em seu disco rígido até que você os apague ou seu navegador o faça, dependendo da data de expiração do cookie. Todos os cookies persistentes têm uma data de expiração gravada em seu código, mas sua duração pode variar.

Finalidade

Coletam e armazenam a ciência sobre o uso de cookies no site.

Cookies de Terceiros

Outros cookies são colocados no seu dispositivo não pelo site que você está visitando, mas por terceiros, como, por exemplo, os sistemas analíticos.

Temporários

Nós utilizamos cookies de sessão. Eles são temporários e expiram quando você fecha o navegador ou quando a sessão termina.

Finalidade

Coletam informações sobre como você usa o site, como as páginas que você visitou e os links em que clicou. Nenhuma dessas informações pode ser usada para identificá-lo. Seu único objetivo é possibilitar análises e melhorar as funções do site.

Persistentes

Utilizamos também cookies persistentes que permanecem em seu disco rígido até que você os apague ou seu navegador o faça, dependendo da data de expiração do cookie. Todos os cookies persistentes têm uma data de expiração gravada em seu código, mas sua duração pode variar.

Finalidade

Coletam informações sobre como você usa o site, como as páginas que você visitou e os links em que clicou. Nenhuma dessas informações pode ser usada para identificá-lo. Seu único objetivo é possibilitar análises e melhorar as funções do site.

Você pode desabilitá-los alterando as configurações do seu navegador, mas saiba que isso pode afetar o funcionamento do site.

Chrome Firefox Microsoft Edge

Caso queira mais informações sobre os cookies de terceiros acesse:

Google Analytics Hotjar Facebook

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Definições dos cookies. Ao clicar em Eu concordo, você consente com a utilização de cookies.

Conferência Aduaneira: o que é e como funciona?

Publicado em 08 de abril de 2022
Compartilhe:

As cargas importadas que ingressam no território brasileiro passam por um processo de conferência aduaneira, e a Receita Federal do Brasil (RFB) é o órgão responsável por realizar a fiscalização de toda mercadoria estrangeira.

Nessa conferência identificam-se as principais características da mercadoria, tais como razão social do importador, país de origem da carga, descrição do produto, volume e quantidade e demais informações declaradas.

Se os dados estiverem de acordo com o estabelecido pela RFB, a carga será liberada ao importador. Caso haja alguma inconsistência, o importador poderá receber uma convocação para dar maiores esclarecimentos.

A seguir, vamos falar sobre os tipos de conferência praticados pela RFB.

Conferência Aduaneira: o que é?

A conferência aduaneira é a fiscalização das cargas importadas que chegam ao Brasil. É realizada para gerar estatística das características das mercadorias estrangeiras e dos perfis dos importadores brasileiros.

Contudo, o principal objetivo da fiscalização é garantir que o importador está cumprindo todas as exigências legais e fiscais previstas no processo de importação.

Conferência Aduaneira: quais os canais para conferência?

A RFB define quatro canais diferentes para realizar a conferência aduaneira: verde, amarelo, vermelho e cinza.

Toda mercadoria importada será enquadrada em um desses canais e esta classificação definirá o tipo de conferência a que a carga será submetida.

Em seguida veremos as diferenças entre eles.

Canal Verde

Todo importador deseja que sua carga seja parametrizada em Canal Verde, pois assim ela será rapidamente liberada pela RFB e logo estará disponível para utilização.

Quando enquadrada em um Canal Verde, o fiscal libera a carga sem fiscalização e a importação tem seu desembaraço automático, sem que seja realizada a conferência.

Dessa forma, o importador depende apenas da emissão do Comprovante de Importação para a liberação da carga. Isso acontece porque a RFB fiscaliza com o objetivo de identificar processos ou empresas, analisando o histórico da companhia e de seus processos, bem como sua capacidade financeira.

Essa fiscalização é feita com base no gerenciamento de risco para que empresas que atuam regularmente tenham suas cargas liberadas de forma mais ágil.

Por outro lado, o gerenciamento de risco facilita a atuação da RFB, que passa a fiscalizar operações de risco real, nas quais há possibilidade de ocorrência de crimes.

Canal Amarelo

Se for parametrizada em Canal Amarelo, a carga passará por uma fiscalização documental. Sendo assim, o importador deverá apresentar os documentos referentes à mercadoria e o auditor fiscal da RFB realizará a análise para verificar se as informações declaradas estão dentro do exigido.

Neste caso, ocorre apenas a conferência documental, que consiste em analisar as informações declaradas sobre o importador e os dados da mercadoria.

O Valor Aduaneiro declarado, por exemplo, tem que estar na média do valor declarado para itens similares. Um valor muito divergente poderá implicar no atraso da liberação da carga, pois o fiscal irá solicitar explicações sobre o preço praticado, para averiguar se não há subfaturamento ou prática de descaminho.

O fiscal tem condições de detectar inconsistências no processo e isso pode trazer prejuízos ainda maiores ao importador que não observar a legislação e regulamento aplicáveis.

Se houver irregularidades na documentação, o fiscal irá notificar o importador, podendo exigir a apresentação de documentos adicionais ou até mesmo aplicar uma multa. Neste caso, o desembaraço da carga estará condicionado à apresentação da documentação exigida e ao pagamento da multa.

Porém, se as informações apresentadas forem coerentes, o desembaraço aduaneiro será concedido e o importador então não terá grandes problemas na liberação da carga após a conclusão da conferência aduaneira.

Canal Vermelho

No Canal Vermelho ocorre a vistoria documental e física. Nesta etapa, o fiscal irá comparar a descrição dos itens listados nos documentos com os materiais importados, para atestar a veracidade das informações declaradas.

Em caso de discrepância poderá ser aplicada uma multa e, como consequência disso, o desembaraço será interrompido.

A carga em Canal Vermelho costuma ser o maior pesadelo do importador, em razão do maior tempo gasto na liberação da carga. Isso acontece porque a conferência aduaneira será mais minuciosa do que nos outros dois primeiros canais, provocando mais lentidão na liberação da carga.

Neste tipo de conferência é bem comum que o fiscal solicite documentos adicionais, como laudos técnicos, para compreender melhor as funcionalidades do produto importado.

É comum também que alguma das cargas do importador seja parametrizada em Canal Vermelho sem significar que há algum problema com sua empresa ou com a mercadoria. Trata-se apenas de uma seleção sistêmica, por isso, qualquer carga está sujeita a ser fiscalizada por completo.

Entretanto, se as declarações sobre as quantidades e características da carga estiverem corretas, a mercadoria será liberada normalmente.

Canal Cinza

Os três canais citados acima são os mais comuns, no entanto, o mais preocupante com certeza é o Canal Cinza. Este canal alerta que foram encontrados indícios de fraude aduaneira na operação.

Neste caso, o importador fica ciente de que seu processo de importação passará a ser investigado, e isso poderá demandar muito tempo e resultar em custos extras que não estavam previstos (como os custos de armazenagem).

Além disso, a carga somente será liberada se de fato não for encontrada nenhuma irregularidade após o término da investigação.

Aplica-se o Canal Cinza em caso de suspeita de importação ilegal, declaração falsa nos documentos, mercadorias falsas ou adulteradas ou ocultação de dados envolvidos na compra e venda dos produtos.

Pode ocorrer também se o fiscal tiver dúvidas quanto à existência do importador, exportador ou até mesmo de outros integrantes do processo.

Vale ressaltar que o Canal Cinza não visa dificultar o andamento do processo do importador comum, mas sim identificar possíveis fraudes nas importações. Um processo em Canal Cinza é muito incomum para empresas que aplicam as normas aduaneiras nacionais vigentes em seus processos de importação.

Canal Melancia

Existe ainda outra situação, em geral atípica, entre os canais de parametrização. É possível que uma carga seja parametrizada em Canal Verde e ainda assim seja submetida à fiscalização.

Os profissionais da área costumam chamar este cenário de “verde melancia”, em referência à fruta que é verde por fora e vermelha por dentro.

Ocorre quando uma carga, mesmo tendo sido parametrizada em Canal Verde, passa por fiscalização ao ser manualmente selecionada: quando o fiscal decide fiscalizar aquela Declaração de Importação (DI).

Conferência Aduaneira com o Novo Processo de Importação

Não haverá alteração nos canais de parametrização com o Novo Processo de Importação, mas sim mais agilidade e transparência.

Será estabelecido o Canal Consolidado, e a cor será definida com base nos resultados dos canais da RFB aliado aos canais de outros órgãos anuentes (como o MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

Se definido o Canal Verde, a mercadoria da DUIMP (Declaração Única de Importação) estará automaticamente liberada. Se a mercadoria for submetida a outra cor na parametrização (amarelo, vermelho ou cinza), a conferência física ou documental será agendada previamente, o que dará mais agilidade ao processo, além de reduzir os custos de armazenagem para o importador.

Da mesma forma, empresas com certificado OEA (Operador Econômico Autorizado), por terem cumprido as devidas exigências para obter a certificação, têm suas operações consideradas de baixo risco.

Na prática isso significa que a RFB avalia a empresa como capaz de gerir os riscos de suas cargas e, por isso, concede uma conferência mais rápida ou até mesmo automática para os seus processos.

Essas empresas possuem um servidor da RFB como ponto focal para se comunicar e esclarecer dúvidas sobre o programa e demais procedimentos aduaneiros. Sem contar que são dispensadas de cumprirem certas exigências para obter a habilitação para Regimes Aduaneiros Especiais.

Conferência Aduaneira: a conclusão com o desembaraço

A última etapa da conferência aduaneira ocorre com o registro do desembaraço da mercadoria. Com a DUIMP devidamente registrada e liberada, autoriza-se o transporte para entrega da mercadoria ao importador.

Automatize suas consultas do Siscomex com a EMIX

A e.Mix trabalha com softwares que podem trazer mais agilidade aos processos de importação de qualquer empresa.

Seu sistema SiscomexNet está plenamente integrado ao Siscomex (Sistema Integrado de Comércio Exterior) da RFB, e esta integração também pode se estender aos softwares de empresas atuantes no mercado de Comércio Exterior. Ele garante mais agilidade nas consultas sobre o andamento de processos, além de oferecer informações confiáveis sobre cada importação realizada.

Por meio do SiscomexNet a e.Mix disponibiliza diversos tipos de consultas necessários para os seus processos, tais como parametrização, extratos de DI, status de Licenças de Importação junto aos órgãos anuentes e recuperação do Comprovante de Importação.

Dessa forma, qualquer informação referente às importações pode ser facilmente encontrada através da ferramenta, otimizando o tempo das atividades no dia a dia de gestores e analistas do Comércio Exterior.

Compartilhe:

Sugira um tema para publicarmos no blog

Para enviar uma sugestão, faça login com seu Linkedin.
Demurrage DemurrageNet Detention
Demurrage e Detention de container: qual a diferença?
Leia mais
DU-e DUe DUIMP FollowNet FollowNet One
O que é a DUIMP na Importação e para que serve?
Leia mais
Catálogo de Produtos Classificação Fiscal DU-e DUe DUIMP FollowNet FollowNet One NCM
Catálogo de Produtos da DUIMP: o que é e qual a sua importância
Leia mais
Automação ERP FollowNet FollowNet One Integração Silos de Dados
Implementei o meu ERP e agora?
Leia mais
arrow-left

Precisa de uma solução personalizada?
Preencha seus dados para retornarmos seu contato.








    São Paulo • +55 11 2122 0219
    Santos • +55 13 4062 9577
    Campinas • +55 19 4062 8962
    Rio de Janeiro • +55 21 3005 2073
    Curitiba • +55 41 2626 1437
    Porto Alegre • +55 51 2626 4231
    logo-footer
    logo 23 anos
    Rua Barão de Jaguara, 707, 3º Andar, Centro - Campinas/SP
    Deus seja louvado - Valores Virtuosos e.Mix
    Propósito: Contribuir para o sucesso com soluções inovadoras, transformando vidas e fortalecendo as relações.
    Valores: Amor, Comprometimento, Ética, Excelência, Inovação, Respeito.
    1997-2022 | e.Mix - Todos os direitos reservados | Política de Privacidade
    Elleven