Fechamento de câmbio: dicas para evitar surpresas

O intenso fluxo das atividades de compra e venda de ações na bolsa de valores interfere diretamente na cotação do dólar e isso não está sob o controle de ninguém. Sendo assim, o melhor que se pode fazer é elaborar uma estratégia de fechamento de câmbio para saber como agir diante de cenários otimistas e pessimistas.

Fechamento de câmbio: dicas para evitar surpresas

Dicas para evitar surpresas no fechamento de câmbio

Independentemente do porte da empresa, ou do tipo de negociação, a estratégia de fechamento de câmbio é vital para o planejamento financeiro de empresas que atuam no Comércio Exterior. Afinal, a cotação do dólar depende de fatores distantes do nosso controle.

Diante dessa máxima, é fácil constatar que o mercado de câmbio nos reserva surpresas e, por isso, elaboramos algumas dicas para você evitá-las.

A seguir você terá a oportunidade de entender como o fechamento de câmbio funciona, bem como os benefícios da estratégia cambial.

Tenha uma ótima leitura!

O que é fechamento de câmbio?

De acordo com o Banco Central, o fechamento de câmbio é o ato de converter divisas estrangeiras.

Como as empresas de maior capitalização do mundo estão listadas na bolsa de Nova York, o dólar é a moeda de referência para precificação internacional. Ou seja, por mais que possam haver transações comerciais internacionais envolvendo outras moedas fortes além do dólar, tais como euro e libra esterlina, o mercado de câmbio considera o dólar americano como uma espécie de termômetro global.

O processo de fechamento de câmbio conta com diferentes fases, quais sejam a negociação, contratação e liquidez, conforme breve explicação abaixo:

  • Fase 1 – Negociação: caracterizada pela busca da melhor cotação de dólar para real. Sem dúvidas a etapa mais importante.
  • Fase 2 – Contratação: é o momento da celebração do contrato de câmbio, que é o documento formal utilizado para registrar a operação de compra e venda de moedas estrangeiras junto ao BACEN (Banco Central).

O contrato indicará o montante da operação em dólar, bem como o prazo para a sua liquidez.

Atualmente a maioria dos contratos são feitos com liquidez “D0” e isso significa que a entrega ou o recebimento da quantia acontecerá no mesmo dia. Entretanto, o prazo máximo estabelecido pelo BACEN para a liquidação do contrato de câmbio, realizada após o embarque da mercadoria, é de 1.500 dias a contar da data da contratação para liquidar a operação.

  • Fase 3 – Liquidez: trata-se do recebimento (exportação) ou remessa (importação).

Quais são as modalidades de fechamento de câmbio?

O fechamento de câmbio acontece de acordo com as modalidades de pagamento encontradas no mercado internacional, que são três:

  1. Pagamento Antecipado: essa modalidade indica que o comprador (importador) fará o pagamento referente à compra antes que o embarque da mercadoria aconteça. Essa prática é bastante comum para empresas que não se conhecem e tende a ser ajustada à medida que o relacionamento vai se estreitando;
  2. Pagamento à vista: o pagamento será feito pelo importador logo que a carga chegar no destino. Na prática, o fechamento de câmbio deve ser feito antes da nacionalização da mercadoria;
  3. Pagamento a prazo: modalidade em que o importador honrará com o pagamento somente depois de nacionalizar a mercadoria. É comum vermos prazos de 30 e 60 dias após a emissão da Invoice (Fatura Comercial), mas esses prazos variam bastante de negociação para negociação.

Por que devo elaborar uma estratégia de fechamento de câmbio?

O intenso fluxo das atividades de compra e venda de ações na bolsa de valores interfere diretamente na cotação do dólar e isso não está sob o controle de ninguém.

Sendo assim, o melhor que se pode fazer é elaborar uma estratégia de fechamento de câmbio para saber como agir diante de cenários otimistas e pessimistas.

3 dicas para evitar surpresas no fechamento de câmbio

Os efeitos de um fechamento de câmbio feito em um mau momento podem ser devastadores para o fluxo de caixa da empresa. Portanto, é preciso compreender como a dinâmica acontece.

Muitos economistas se dedicam ao estudo de tendências de mercado. Consideramos o ponto de vista desses estudiosos para elaborar as três dicas de ouro que você vai ler a seguir.

Acompanhe:

FINIMP

A primeira dica para o fechamento de câmbio trata de uma linha de crédito utilizada para financiar até 100% do valor aduaneiro. Isso significa que ela pode cobrir os custos de toda a importação, incluindo frete e demais despesas aduaneiras.

O Financiamento à Importação se destina a viabilizar capital de giro para empresas que desejam importar, mas não dispõem de recursos financeiros próprios para custear a operação de importação e por isso existem duas modalidades, o FINIMP Direto e o FINIMP Repasse.

Ao optar pelo FINIMP Direto, o importador será financiado por um banco no exterior que honrará o pagamento diretamente com o exportador.

Já o FINIMP Repasse é uma operação que envolve três partes: o importador, um banco brasileiro e um banco estrangeiro para proporcionar ao importador que a dívida seja honrada em reais e não em dólar.

ACC e ACE

Ambas as siglas se referem ao adiantamento da quantia oriunda de exportação.

ACC significa Adiantamento sobre Contrato de Câmbio e, de modo geral, trata-se da antecipação do valor total de uma exportação que já está com data prevista para acontecer.

Para a análise de crédito, usualmente, o banco solicita documentos capazes de evidenciar a negociação e a data de embarque, tais como Fatura Comercial e trocas de e-mail.

ACE é o Adiantamento sobre Cambiais Entregues e essa opção se refere à antecipação do valor de uma exportação que já aconteceu. Ou seja, logo após o embarque da mercadoria.

Para tanto, são necessários alguns documentos que comprovam o embarque, como DU-E (Declaração Única de Exportação) e Conhecimento de Embarque.

Hedge cambial

O hedge cambial é um produto financeiro que viabiliza a contratação de uma taxa de câmbio pré-fixada que será conservada para o fechamento em uma data futura.

A ideia é evitar que uma possível flutuação cambial altere bruscamente os preços que foram negociados a ponto de prejudicar a margem de lucro de empresas que operam no Comércio Exterior.

Na prática, o montante que está reservado para transações que envolvam moeda estrangeira será preservado com o hedge cambial.

Esse montante pode estar reservado para honrar algum compromisso internacional, como, por exemplo, o pagamento de mercadorias importadas ou previsto para entrar no caixa, no caso de uma exportação.

Tenha o controle da sua operação de Comércio Exterior com as soluções e.Mix

O sucesso de uma operação de comércio exterior está nos detalhes e nós sabemos que monitorar manualmente tantas informações é exaustivo.

Por isso criamos muitas soluções automatizadas com o objetivo de proporcionar tranquilidade para quem exporta e agilidade para quem importa.

Clique aqui e conheça o nosso portfólio.

Cadastre-se para receber todos os artigos por e-mail em primeira mão

    Sugira um tema para publicarmos no blog

      Veja também
      Entreposto aduaneiro: O que é e como funciona e qual sua vigência?
      Entreposto aduaneiro: O que é e como funciona e qual sua vigência?

      De acordo com o Art. 404 do Regulamento Aduaneiro, o entreposto aduaneiro é definido como um regime especial que pode ser usado tanto na importação como na exportação. Ele serve para que as empresas possam armazenar suas mercadorias realizando a liberação junto à RFB com um prazo maior do que o habitual ou até efetuar a retirada das mercadorias de forma parcial. 

      Dessa maneira, o entreposto possibilita a suspensão dos impostos até que todas as etapas sejam finalizadas, no caso da importação e da exportação. Dependendo de cada caso, algumas das vantagens destes regimes estão na possibilidade de as empresas aprimorarem seus planejamentos logísticos e reduzirem os custos das operações. 

      Leia mais
      Purchase Order: o que é e qual seu papel na importação?
      Purchase Order: o que é e qual seu papel na importação?

      Basicamente, a purchase order na importação é o documento que inicia a formalização do processo de compra de um produto importado. É a autorização da compra ou a confirmação da encomenda pelo comprador. 

      O pedido de compra contém todas as informações pertinentes ao produto ou serviço que será entregue, e estabelece a relação comercial a partir da aceitação do fornecedor. 

      Leia mais
      Transporte Internacional Rodoviário para o Mercosul: quais as vantagens?
      Transporte Internacional Rodoviário para o Mercosul: quais as vantagens?

      A maior participação no Comércio Intrazona do Mercosul é a do Brasil, com cerca de 40%, vindo em seguida a Argentina com 30%, o Paraguai com 11% e o Uruguai com 8%. No momento atual, as exportações cresceram cerca de 16%, mantendo a expansão do comércio internacional fomentado pelo aumento da venda do trigo, do centeio, do arroz e do milho, fazendo com que as commodities continuem sendo o carro-chefe nas exportações nacionais. E a maior parte dos produtos transportados entre os países do bloco fazem uso do transporte internacional rodoviário.

      Leia mais