Financiamento para exportação: quais as opções?

Ainda existe a crença de que é muito difícil fazer comércio exterior no Brasil, e esse pensamento pode lhe impedir de conhecer as vantagens e alternativas que as exportações podem trazer ao seu negócio, como o financiamento para exportação.

Financiamento para exportação: quais as opções?

Ainda existe a crença de que é muito difícil fazer comércio exterior no Brasil, e esse pensamento pode lhe impedir de conhecer as vantagens e alternativas que as exportações podem trazer ao seu negócio, como o financiamento para exportação.

O registro de superávit na balança comercial é uma das preocupações do Governo Federal brasileiro e uma das formas de atingir esse objetivo para se tornar exportador é com o financiamento.

Sendo assim, vamos lhe explicar o que é o financiamento para exportação e quais são algumas das opções disponíveis.

O que é financiamento para exportação?

Trata-se de uma ferramenta para contribuir financeiramente com o fluxo de caixa dos projetos de exportação e existem, inclusive, opções que permitem financiar a aquisição da matéria-prima do que será exportado.

pile-cents

Consequentemente, isso permite ao exportador alavancar as atividades em outros países e desenvolver a confiança de terceiros nele, fazendo com que tenha a possibilidade de focar em outros mercados a serem explorados mundo afora.

Quais as opções de financiamento para exportação?

Muitas empresas nacionais ainda desconhecem essa possibilidade e todas as opções de financiamento, mas essa pode ser uma saída para quem deseja exportar e não possui capital para investir no negócio.

Listamos abaixo as principais opções de financiamento à exportação.

Adiantamento sobre Contrato de Câmbio (ACC)

Essa costuma ser a modalidade de financiamento mais escolhida pelos exportadores que desejam iniciar as operações no mercado internacional e estão entre os que não contam com grandes quantias no fluxo de caixa para começar a investir.

Pilha de dinheiro

No ACC, caso tenha interesse em receber o crédito, o exportador entra em contato com sua agência bancária para obter informações.

Para tanto, o banco precisará entender quais tipos de exportação o empresário deseja realizar e os países para os quais os produtos serão destinados, a fim de compreender toda a operação.

A instituição, por sua vez, realizará uma análise dos limites de crédito para conhecer a saúde financeira da empresa que deseja realizar o financiamento, a fim de verificar se ela será capaz de cumprir com suas obrigações após a celebração do contrato. Firmada a negociação entre as partes, o lastro será o contrato de câmbio futuro.

Eis que assim o exportador terá direito a receber desse banco uma determinada quantia, de acordo com o valor total destinado à exportação. Esse valor poderá ser utilizado para dar início à produção das mercadorias, a partir da obtenção de insumos e compra das embalagens, por exemplo.

Outra vantagem para o exportador é poder fixar a taxa de câmbio a ser aplicada em suas operações. Muitos empresários hesitam em exportar porque temem as variações da taxa do dólar. Contudo, com uma taxa de câmbio fixa, o risco de flutuação cambial diminui e eles passam a ter mais segurança em seus investimentos.

Adiantamento sobre Cambiais Entregues (ACE)

Nesse tipo de financiamento, assim como no ACC, o exportador fará contato com a instituição de sua preferência para obter recursos financeiros. Porém, no ACE, o valor que será entregue ao exportador não poderá ser utilizado na compra de matérias-primas, apenas estará disponível após a comprovação de que os produtos finais foram exportados.

Isso significa que, para ter direito a receber pelo valor desse financiamento, o exportador precisará arcar previamente com os custos da produção e do embarque das mercadorias ao destino, além de demonstrar, por meio de documentos, que a exportação foi realizada.

Então, a instituição financeira fará uma análise de crédito e, em caso de aprovação, o exportador receberá o valor da exportação em moeda nacional.

A vantagem nesse caso é que o empresário receberá antecipadamente o valor total da exportação realizada.

Da mesma forma que no ACC, o exportador também poderá fixar a taxa cambial, protegendo seu negócio de eventuais prejuízos decorrentes de possíveis variações.

Essa modalidade de financiamento para exportação pode ser mais interessante para estreitar o relacionamento entre o exportador e seu cliente no exterior. Isso é possível porque, uma vez comprovada a exportação, o exportador já terá acesso ao valor disponibilizado pelo banco.

Com o crédito já integrado ao seu fluxo de caixa, ele poderá dar continuidade às suas operações sem a preocupação de receber o pagamento do importador. Dessa forma, o exportador poderá oferecer maiores prazos e melhores condições de pagamento ao seu cliente, o que pode resultar em novas oportunidades de negócios para ambas as partes.

BNDES Exim Pré-Embarque

Como falamos anteriormente, as operações de exportação são de grande interesse para o Governo Federal, e os financiamentos fomentam a atuação das empresas brasileiras no mercado internacional. Sendo assim, um dos programas oferecidos pelo Governo é o BNDES Exim Pré-Embarque.

Esse tipo de financiamento deve ser homologado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para que os recursos financeiros sejam disponibilizados. Neste caso, o exportador contata o BNDES por meio de um dos seus agentes credenciados.

O agente será responsável por intermediar a relação entre as duas partes envolvidas, até o momento em que o crédito é disponibilizado à empresa exportadora. Obtido o financiamento, o exportador poderá seguir com a produção, tendo como obrigação contratual o compromisso de exportar as mercadorias dentro do prazo estabelecido entre ele, o agente e o BNDES.

Aperto de mãos

Passado esse prazo, o BNDES irá constatar se a exportação ocorreu de fato, e o exportador deverá iniciar o pagamento das parcelas referentes ao financiamento. Assim como a obtenção do crédito foi realizada pelo agente credenciado pelo BNDES, o pagamento do financiamento deverá ser feito através desse agente também.

Outra opção para obter o financiamento para exportação do BNDES é contar com outra empresa realizando a intermediação. O BNDES define esse tipo de companhia como empresa âncora, que pode ser uma comercial exportadora, uma trading company ou até mesmo uma empresa adquirente de produtos destinados à exportação.

O BNDES oferece o financiamento desde micro e pequenas empresas até companhias de médios e grandes portes. O que irá diferenciá-las será o limite concedido para o financiamento.

Além disso, micro e pequenas empresas podem obter um prazo de até três anos para o embarque da mercadoria, enquanto grandes empresas conseguem o prazo de até quatro anos para que os itens sejam exportados ao país de destino.

Programa de Financiamento às Exportações (PROEX)

Entre os diversos programas nacionais existentes, o PROEX se destaca por servir como ferramenta de financiamento para exportação cujo público-alvo é um grupo muito específico: as pequenas e médias empresas brasileiras que queiram exportar seus produtos.

Todo micro, pequeno ou médio empresário exportador tem direito a ter acesso a este tipo de financiamento. Para isso, basta acessar o Portal Único do Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex), na categoria Licenças, Permissões, Certificados e Documentos (LPCO) e fazer o pedido antes do embarque das mercadorias.

A avaliação desse pedido será realizada pelo Agente Financeiro do PROEX em até 30 dias após sua solicitação. Com a aprovação, o exportador terá o mesmo prazo para realizar a exportação ao destino. Caso a exportação não ocorra, o incentivo poderá ser revogado.

Uma das vantagens do PROEX é que esse financiamento não impacta outros limites de crédito que o empresário possa ter com a instituição financeira. O exportador é livre para definir o valor que deseja financiar, pois não há limites mínimos a serem praticados por embarque. Além disso, o exportador tem várias opções de parcelas para pagar o financiamento.

Gerencie seu financiamento para exportação com a e.Mix

Acompanhar todas as etapas de um financiamento é uma atividade complexa e, normalmente, os envolvidos já estão sobrecarregados com outras demandas além dessa.

O gerenciamento de um financiamento engloba informações relevantes e análises importantes para a empresa, razão pela qual deve ser realizado por profissionais especializados no ramo e comprometidos em garantir a confiabilidade dos dados.

A e.Mix é uma empresa atuante no comércio exterior que oferece soluções de automatização, proporcionando melhorias na gestão de suas atividades.

Além disso, possui uma extensa lista de marcas conhecidas como seus clientes, entre exportadores, agentes de carga e despachantes, que confirmam a assertividade de sua atuação.

Os softwares oferecidos pela e.Mix podem auxiliar em qualquer atividade, inclusive no gerenciamento do financiamento para exportação, garantindo ao exportador total controle das suas operações.

 

Cadastre-se para receber todos os artigos por e-mail em primeira mão

    Sugira um tema para publicarmos no blog

      Veja também
      Entreposto aduaneiro: O que é e como funciona e qual sua vigência?
      Entreposto aduaneiro: O que é e como funciona e qual sua vigência?

      De acordo com o Art. 404 do Regulamento Aduaneiro, o entreposto aduaneiro é definido como um regime especial que pode ser usado tanto na importação como na exportação. Ele serve para que as empresas possam armazenar suas mercadorias realizando a liberação junto à RFB com um prazo maior do que o habitual ou até efetuar a retirada das mercadorias de forma parcial. 

      Dessa maneira, o entreposto possibilita a suspensão dos impostos até que todas as etapas sejam finalizadas, no caso da importação e da exportação. Dependendo de cada caso, algumas das vantagens destes regimes estão na possibilidade de as empresas aprimorarem seus planejamentos logísticos e reduzirem os custos das operações. 

      Leia mais
      Purchase Order: o que é e qual seu papel na importação?
      Purchase Order: o que é e qual seu papel na importação?

      Basicamente, a purchase order na importação é o documento que inicia a formalização do processo de compra de um produto importado. É a autorização da compra ou a confirmação da encomenda pelo comprador. 

      O pedido de compra contém todas as informações pertinentes ao produto ou serviço que será entregue, e estabelece a relação comercial a partir da aceitação do fornecedor. 

      Leia mais
      Transporte Internacional Rodoviário para o Mercosul: quais as vantagens?
      Transporte Internacional Rodoviário para o Mercosul: quais as vantagens?

      A maior participação no Comércio Intrazona do Mercosul é a do Brasil, com cerca de 40%, vindo em seguida a Argentina com 30%, o Paraguai com 11% e o Uruguai com 8%. No momento atual, as exportações cresceram cerca de 16%, mantendo a expansão do comércio internacional fomentado pelo aumento da venda do trigo, do centeio, do arroz e do milho, fazendo com que as commodities continuem sendo o carro-chefe nas exportações nacionais. E a maior parte dos produtos transportados entre os países do bloco fazem uso do transporte internacional rodoviário.

      Leia mais