Multinacionais brasileiras perdem com reforma tributária nos EUA e na Argentina, segundo CNI

Postado em 14 de fevereiro de 2018 às 16:56

Empresas brasileiras com investimentos no exterior estão diante de um grave problema: a perda de competitividade devido à alta carga tributária no Brasil. O país está fora do movimento mundial de redução da alíquota do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica. Companhias instaladas nos Estados Unidos e na Argentina, primeiro e segundo país com maior concentração de multinacionais, reduziram este ano a taxação para 21% e 25%, respectivamente. No Brasil, o imposto é de 34% e os brasileiros pagam à Receita Federal a diferença entre a alíquota dentro e fora do país.

 

De acordo com estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), feito em parceria com a Ernest Young, o Brasil está cada vez mais distante da média mundial atualmente em 22,96%. “De todos os países do mundo, apenas 30 têm alíquotas acima de 30%. O Brasil está isolado. Concorrentes nossos, inclusive na atração de investimentos, como Argentina, Estados Unidos, França e Japão, já reduziram suas alíquotas. Se não fizermos a reforma tributária com redução da carga, nossas empresas que têm investimento no exterior ficarão ainda menos competitivas”, explica o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

 

Nos Estados Unidos, as brasileiras pagam os 21% de imposto sobre a renda, assim como uma empresa canadense, chilena ou europeia. A tributação das empresas de outras nacionalidades se encerra no solo americano. A brasileira, contudo, paga mais 13 pontos percentuais do lucro ao Fisco brasileiro para completar o que é cobrado no país. O mesmo ocorre com as companhias que operam na Argentina e as demais que investem nos 172 países que têm o imposto menor do que o brasileiro. Isso só é possível porque o Brasil tributa o lucro no exterior.

 

A revisão da alíquota de Imposto de Renda de empresas nas principais economias desenvolvidas e emergentes está associada à atração de investimentos e aumento da competitividade internacional, conforme mostra o estudo “A evolução histórica das alíquotas de imposto de renda em diferentes países e as potenciais consequências para o Brasil”, realizado pela CNI em parceria com a Ernest Young.

 

Entre 2000 e 2016, a média dos impostos dos países da OCDE passou de 32% para 23,98%. Já no Brasil manteve-se em 34% nesse período. Essa diferença tem impacto bastante negativo para a economia brasileira. O país perde recursos direcionados às exportações, à pesquisa e inovação, pois os investimentos fora do Brasil são mais baratos. Além disso, a alta carga tributária desestimula os investimentos brasileiros no exterior, atividade que gera ganhos à economia nacional. Estudos da Confederação Nacional da Indústria mostram que as transnacionais exportam e inovam mais.

 

Fonte: Agência Brasil

Você precisa de uma solução personalizada?

Preencha corretamente os dados abaixo e envie sua mensagem, um profissional especializado entrará em contato com você.

Sem o uso de papel, processo de importação e exportação fica menos burocrático e mais veloz

Postado em 13 de maio de 2019 às 08:52

A otimização dos processos organizacionais aliada a desburocratização nos trâmites de exportação e importação tem facilitado o fluxo comercial não somente no Brasil, mas também no mundo. Utilizar soluções automatizadas é um caminho sem volta para o setor e, com certeza, é por meio delas que os processos ficaram mais eficazes. Com elas, é possível, […]

O FollowNet Grid está de cara nova

Postado em 26 de abril de 2019 às 13:05

Agora ficou mais fácil gerenciar seus processos!   As funções do Grid agora são exibidas de forma mais fácil na parte superior. Com o Multi Grid você acompanhará os processos não por módulo, mas por filtros organizados e gerenciados em abas diferentes. A partir de 29/04/2019 o novo FollowNet Grid será disponibilizado gradativamente. Para mais informações […]

Exportações em 2018 alcançam o maior valor dos últimos 5 anos

Postado em 07 de janeiro de 2019 às 16:20

Exportações somaram US$ 239,5 bilhões e importações US$ 181,2 bilhões. Fluxo de comércio cresceu 13,7% no ano e chegou a US$ 420,7 bilhões   A corrente de comércio brasileira, que é a soma das exportações e importações, cresceu 13,7% em 2018. As exportações alcançaram US$ 239,5 bilhões enquanto as importações registraram US$ 181,2 bilhões. O […]

São Paulo • +55 11 2122 0219
Santos • +55 13 4062 9577
Campinas • +55 19 4062 8962
Rio de Janeiro • +55 21 3005 2073
Curitiba • +55 41 2626 1437
Porto Alegre • +55 51 2626 4231
Rua Barão de Jaguara, 707, 3º Andar, Centro - Campinas/SP
Deus seja louvado - Valores Virtuosos e.Mix
Missão: Contribuir para o sucesso com soluções inovadoras, transformando vidas e fortalecendo as relações.
Valores: Amor, Comprometimento, Ética, Excelência, Inovação, Respeito.
1997-2019 | e.Mix - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por: DLS/ Comunicação