Afinal, o que é SISCOMEX e porque ele é tão importante?

O Comércio Exterior brasileiro vem tomando uma importante posição dentro da economia mundial. Cada vez mais nossa sociedade compra produtos de outros países e também […]

Afinal, o que é SISCOMEX e porque ele é tão importante?

O Comércio Exterior brasileiro vem tomando uma importante posição dentro da economia mundial. Cada vez mais nossa sociedade compra produtos de outros países e também vende suas mercadorias para terras estrangeiras. A importação e exportação virou realidade na vida de milhares de pessoas, que enxergam nessa área novas oportunidades de crescimento e descobertas.

 

Quase todas as etapas passaram a ser monitoradas, planejadas e geridas através de softwares para comércio exterior que auxiliam todos os envolvidos a atingir melhores índices de qualidade, satisfação e resultados.

 

No Brasil a plataforma eletrônica de controle se chama SISCOMEX – Sistema Integrado de Comércio Exterior – que é responsável por armazenar e controlar todas as etapas e documentos necessários aos processos de importação e exportação. Mas afinal, porque ele é tão importante?

 

O SISCOMEX foi criado em 1993 pelo governo brasileiro e é gerido por três órgãos: Banco Central, Receita Federal e Secretaria de Comércio Exterior. Além das entidades gestoras, existem também as anuentes, ou seja, aquelas que em algumas etapas regulam, certificam e verificam se os processos estão corretos. São elas: Inmetro, Exército Brasileiro, Suframa, Ibama, Anvisa, Banco do Brasil e Ministério da Agricultura.

 

A plataforma tem o objetivo de ser a ponte pela qual as empresas de comércio exterior, agentes aduaneiros, importadores e exportadores se relacionam ao tratar da burocracia e demais processos necessários à importação e exportação, como a audição fiscal.

 

Através do SISCOMEX são gerados os documentos de Registro de Exportação (RE), Declaração de Exportação (DE), Licença de Importação (LI), Declaração de Importação (DI).

 

O sistema é inteligente e aproveita dados utilizados anteriormente, para diminuir erros, economizar tempo e tornar mais rápidas as operações do comércio exterior.

 

Tudo isso tornou a administração e planejamento nesse mercado muito mais eficiente, otimizando as relações entre governo, empresas e clientes ao contribuir para o crescimento do comércio exterior brasileiro e sua consolidação no cenário mundial, porém toda essa automatização ainda deixa uma grande parte do processo descoberta, sendo necessário gerenciar os desvios e consultar constantemente o SISCOMEX para obter os dados contidos nele.

Cadastre-se para receber todos os artigos por e-mail em primeira mão

    Sugira um tema para publicarmos no blog

      Veja também
      Entreposto aduaneiro: O que é e como funciona e qual sua vigência?
      Entreposto aduaneiro: O que é e como funciona e qual sua vigência?

      De acordo com o Art. 404 do Regulamento Aduaneiro, o entreposto aduaneiro é definido como um regime especial que pode ser usado tanto na importação como na exportação. Ele serve para que as empresas possam armazenar suas mercadorias realizando a liberação junto à RFB com um prazo maior do que o habitual ou até efetuar a retirada das mercadorias de forma parcial. 

      Dessa maneira, o entreposto possibilita a suspensão dos impostos até que todas as etapas sejam finalizadas, no caso da importação e da exportação. Dependendo de cada caso, algumas das vantagens destes regimes estão na possibilidade de as empresas aprimorarem seus planejamentos logísticos e reduzirem os custos das operações. 

      Leia mais
      Purchase Order: o que é e qual seu papel na importação?
      Purchase Order: o que é e qual seu papel na importação?

      Basicamente, a purchase order na importação é o documento que inicia a formalização do processo de compra de um produto importado. É a autorização da compra ou a confirmação da encomenda pelo comprador. 

      O pedido de compra contém todas as informações pertinentes ao produto ou serviço que será entregue, e estabelece a relação comercial a partir da aceitação do fornecedor. 

      Leia mais
      Transporte Internacional Rodoviário para o Mercosul: quais as vantagens?
      Transporte Internacional Rodoviário para o Mercosul: quais as vantagens?

      A maior participação no Comércio Intrazona do Mercosul é a do Brasil, com cerca de 40%, vindo em seguida a Argentina com 30%, o Paraguai com 11% e o Uruguai com 8%. No momento atual, as exportações cresceram cerca de 16%, mantendo a expansão do comércio internacional fomentado pelo aumento da venda do trigo, do centeio, do arroz e do milho, fazendo com que as commodities continuem sendo o carro-chefe nas exportações nacionais. E a maior parte dos produtos transportados entre os países do bloco fazem uso do transporte internacional rodoviário.

      Leia mais