Riscos no comércio exterior: como minimizá-los nas suas operações?

Neste artigo abordaremos os riscos no comércio exterior, como são classificados e qual é a relevância dessa temática para que empresários brasileiros estejam sempre preparados com os compromissos assumidos.

Riscos no comércio exterior: como minimizá-los nas suas operações?

Por que devo me preocupar em analisar os riscos da operação de comércio exterior?

A rotina de comercialização em meio a cenários de instabilidade da economia internacional justifica a atenção aos riscos do mercado que já existem e os que poderão existir.

Para manter o diferencial do seu negócio é essencial que se pontuem todos esses riscos de modo que, assim, consiga se prevenir e reduzi-los por meio de uma visão holística de toda a cadeia de valor.

Afinal, os riscos nas operações internacionais sempre existirão, afetando em parte ou por completo os seus processos de importação e de exportação.

Porém, eles podem ser mitigados, evitando prejuízos para o negócio, a partir do momento em que o empresário se previna por meio de uma análise preditiva e de manutenção das garantias e proteções na realização das atividades no mercado em que atua.

Quais são os tipos de riscos envolvidos em uma operação de comércio exterior?

Especialistas afirmam que, mesmo diante de cenários econômicos favoráveis, a compreensão dos riscos envolvidos nas operações de comércio exterior se faz necessária, pois cada operação conta com particularidades específicas a depender dos países que estão negociando.

A seguir abordaremos essa temática com mais detalhes sob diferentes perspectivas. Acompanhe.

Riscos logísticos no comércio exterior

Avarias na mercadoria

Avarias são danos que podem ou não comprometer o bom funcionamento do produto. Entretanto, não é possível ter certeza sobre isso até o momento de testá-lo. Por este motivo, um Contrato Internacional de Compra e Venda deve ser claro e conter cláusulas bem definidas sobre o recebimento da mercadoria, logo, é o instrumento ideal para evitar prejuízos relacionados ao reenvio do produto para conserto ou para a substituição.

Sob a perspectiva do direito comercial, avarias podem ser classificadas como grossa ou simples. Um exemplo a ser citado são os incêndios a bordo de um navio cargueiro. Na tentativa de sanar o fogo, a tripulação pode utilizar extintores a base de água que, ao entrar em contato com certas cargas, pode danificá-las ou, no mínimo, causar marcas estéticas.

Neste caso, os danos causados pela água são considerados avaria grossa, pois foi a consequência de uma medida emergencial tomada em benefício comum. Já as avarias causadas às mercadorias atingidas pelo fogo são consideradas como simples.

Este tipo de risco é bem comum nas transações comerciais internacionais por conta do transporte de longo trajeto que a maioria das cargas internacionais percorre.

Carga desaparecida

O desaparecimento de cargas pode acontecer em qualquer tipo de modal. A situação deve ser reportada para a companhia de transporte internacional, por um meio formal usualmente chamado claim.

Para evitar esse risco do comércio exterior será preciso efetuar uma detalhada avaliação na reputação da empresa estrangeira e todas as suas referências, além da sua capacidade no cumprimento dos prazos estabelecidos. Bem como se ela é a própria fabricante do produto ou se é apenas a terceirizada e, além disso, verificar restrições do governo do país para adquirir a mercadoria desejada.

Riscos tributários no comércio exterior

Impostos

É importante verificar se há a incidência de impostos sobre o produto comercializado. Sob a ótica do exportador há isenção ou a imunidade tributária. Contudo, é preciso atenção para a lista dos itens que não são isentos, por exemplo as armas de fogo ou os cigarros.

Já para o importador o cenário muda drasticamente, uma vez que produtos importados sofrem alta taxação de impostos. Obviamente, esta não é uma regra e, por isso, a importância da classificação fiscal.

Na prática, o código NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) e o tipo de operação irão revelar a incidência de impostos.

Multas

Um dos principais motivos para as multas no comércio exterior diz respeito às discrepâncias entre os documentos formais do embarque.

Esse é um risco no comércio exterior causado por importadores inexperientes que, por falta de atenção no cumprimento das exigências, acabam ocasionando alguns erros na classificação de NCM ou na fatura comercial, como também na diferença entre o preço real do produto e o preço que foi declarado.

Riscos financeiros no comércio exterior

Não recebimento do pagamento

É necessário efetuar uma boa análise prévia do seu comprador internacional antes de fechar qualquer tipo de negócio, pois algumas verificações precisam ser feitas, tais como uma avaliação cadastral para analisar sua idoneidade, capacidade ou o histórico de pagamento e seu grau de endividamento.

Flutuação cambial

Nesse momento, cautela é fundamental. Verificar as restrições dos países, principalmente aqueles que têm problemas com as suas reservas cambiais é fundamental.

Indicadores a serem observados são, portanto, taxa de juros de mercado, inflação fora do controle e taxa de desemprego.

Riscos de força maior

Conflitos armados

Esses são riscos considerados extraordinários, já que não estão sob o controle das empresas. Da mesma forma que as revoluções, as greves e até os recentes lockdowns causados pela crise sanitária, todos eventos que impedem a movimentação de mercadorias. Embargos e sanções políticas são consequências desse tipo de risco.

Desastres naturais

Esses são todos os riscos no comércio exterior representados pelos terremotos, inundações, furacões ou erupções vulcânicas que também podem comprometer a rota escolhida para o envio da carga, pois que resulta em menos segurança e mais atraso.

Dicas para minimizar os riscos no comércio exterior

Um planejamento estratégico é muito importante para viabilizar o seu negócio internacional e, por isso, daremos algumas dicas:

Não abra mão do seguro de carga internacional

O seguro da carga que será movimentada é fundamental para garantir que a entrega seja realizada de maneira segura e sem avarias que, se porventura ocorram, não causem prejuízos que inviabilizem a operação.

Realizar um contrato de seguro com uma empresa idônea manterá a confiabilidade no acordo estipulado entre ambas as partes, conforme a necessidade de cada demanda.

Certifique-se que a documentação foi emitida corretamente

De fato é primordial para o empresário fazer essa averiguação antes do envio do produto, para não correr o risco de omitir ou prestar uma informação incorreta que poderá acarretar multas no futuro.

Afinal, todas as informações contidas na documentação são utilizadas com o objetivo de determinar os procedimentos do controle aduaneiro.

Contrate trava de câmbio

Essa é uma operação que se realiza mediante o crédito futuro da exportação, decorrente do fechamento de um contrato de câmbio sem a liberação para o exportador em moeda nacional.

Utilize carta de crédito como meio de pagamento

Essa é uma modalidade de pagamento oferecida pelo banco, por meio da emissão de uma carta de crédito com a qual ele se responsabiliza pelo pagamento dos produtos, após o cumprimento das exigências estabelecidas em contrato firmado anteriormente.

Monitore o seu processo de comércio exterior com o FollowNet One

Com o FollowNet One da e.Mix você terá um software do tamanho das necessidades e das demandas da sua empresa, pois irá saber tudo sobre a carga, em tempo real e de qualquer lugar.

A e.Mix está no mercado tecnológico desenvolvendo softwares inteligentes e intuitivos há mais de 20 anos, sempre preocupada em se aprimorar nas soluções inteligentes para os seus clientes que aumentem seus resultados e criem potenciais diferenciais perante seus concorrentes.

Como você utiliza o seu tempo? Venha conhecer os nossos softwares e aumentar a produtividade da sua empresa em até 35%.

 

Veja também
Sua empresa está realmente adaptada ao novo Catálogo de Produtos?
Sua empresa está realmente adaptada ao novo Catálogo de Produtos?

Se a sua empresa ainda não está adaptada a mudança do novo Catálogo de Produtos, você corre o risco de enfrentar complicações regulatórias, atrasos e custos adicionais.

A nova exigência do Catálogo de Produtos visa a eficiência e a conformidade das operações de importação. Ao integrar este módulo ao Portal Único Siscomex, o governo busca simplificar os processos comerciais e aumentar a transparência das operações. Isso impacta diretamente na maneira como as empresas interagem com os órgãos de controle e gestão aduaneira.

Se sua empresa não se adaptar rapidamente, poderá enfrentar desafios significativos, como multas, atrasos na liberação de mercadorias e um aumento nos custos operacionais devido à necessidade de retrabalho. Agora é o momento de agir e garantir que sua empresa esteja pronta para essa transformação, evitando complicações futuras e se posicionando como líder no mercado de comércio exterior.

Leia mais
Gestão de relacionamento com fornecedores: estratégias para construir parcerias duradouras
Gestão de relacionamento com fornecedores: estratégias para construir parcerias duradouras

O sucesso de uma empresa depende da qualidade e da eficiência de suas relações com fornecedores. A gestão de relacionamento com fornecedores não é apenas sobre negociar contratos; é também sobre construir parcerias estratégicas que impulsionam o crescimento mútuo e a sustentabilidade a longo prazo. Para qualquer empresa, desenvolver um sistema robusto para gerenciar essas relações é crucial para manter a competitividade e garantir a qualidade dos produtos importados.

Neste artigo, exploraremos estratégias fundamentais para fortalecer o relacionamento com fornecedores. Vamos discutir como a adoção de uma abordagem proativa pode transformar a gestão de fornecedores em um diferencial competitivo para sua empresa no mercado global.

Leia mais
Como preparar sua empresa para auditorias aduaneiras
Como preparar sua empresa para auditorias aduaneiras

Auditorias aduaneiras são uma realidade inevitável para empresas envolvidas em atividades de importação e exportação. Estas inspeções são essenciais para garantir a conformidade com as leis e regulamentos locais e internacionais. Ser pego despreparado durante uma auditoria aduaneira pode resultar em penalidades significativas, atrasos nas operações e danos à reputação da empresa. Portanto, estar bem preparado não é apenas uma medida de precaução; é uma estratégia crucial para manter a eficiência e a integridade dos negócios.

Este artigo detalha como as empresas podem se antecipar, se preparando para enfrentar auditorias aduaneiras com confiança. Desde compreender o que esperar em uma auditoria até implementar sistemas robustos de documentação e treinamento de equipe, exploraremos as melhores práticas que ajudam a garantir que sua empresa esteja sempre pronta para demonstrar sua conformidade. Ao adotar uma abordagem proativa ao manter dados e documentos organizados, as empresas podem transformar auditorias aduaneiras de potenciais ameaças em oportunidades para reafirmar seu compromisso com a excelência operacional.

Leia mais