Embarque aéreo: carga urgente e as entrelinhas

Para cargas que precisam chegar rapidamente ao seu destino, o embarque aéreo é a escolha mais lógica, pois praticamente todos os países do mundo são conectados via aéreo. De acordo com a IATA, há 3200 aeroportos atendidos internacionalmente e 60000 rotas aéreas. Isso nos mostra a dimensão da conectividade do transporte aéreo.

Embarque aéreo: carga urgente e as entrelinhas

Carga urgente e as entrelinhas do embarque aéreo

O primeiro embarque aéreo de cargas ocorreu em 1910 em Ohio, EUA (Estados Unidos). Ele levou em torno de 90 quilos de seda para uma loja local. Já a primeira rota de voo estabelecida foi em 1919, entre Londres e Paris. Ela continha apenas um passageiro, contudo carregava couro para uma manufatura de sapatos.

Esses acontecimentos foram o engatinhar do transporte de cargas na aviação. Eventualmente, com o avanço das tecnologias e o empreendedorismo de empresas do ramo, o transporte aéreo de cargas consolidou-se um modal importante na cadeia logística global.

De acordo com dados da IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo), o transporte aéreo leva 65 milhões de toneladas de cargas anualmente. Esse número representa menos de 1% do volume no comércio global. Entretanto, olhando por outro ângulo, este modal transporta 35% do comércio global em valores, cerca de USD 6,8 trilhões anualmente. Ou seja, cargas mais valiosas são o ponto forte desse modal.

Ao longo deste artigo traremos informações importantes sobre o embarque aéreo e suas peculiaridades. Acompanhe abaixo!

Por que optar pelo embarque aéreo?

O embarque aéreo é o modal ideal para cargas que se encaixam em determinado perfil, que trataremos abaixo, ou para clientes que procuram agilidade no transporte de seus produtos.

Para cargas que precisam chegar rapidamente ao seu destino, o embarque aéreo é a escolha mais lógica, pois praticamente todos os países do mundo são conectados via aéreo. De acordo com a IATA, há 3200 aeroportos atendidos internacionalmente e 60000 rotas aéreas. Isso nos mostra a dimensão da conectividade do transporte aéreo.

Além da rapidez, há outras boas razões para escolha desse modal, como, por exemplo: acessibilidade a locais interiores longe de acesso a portos, segurança, cuidados e tratamentos diferenciais com cada tipo de carga.

O perfil de carga ideal para o embarque aéreo são:

  • Peças de reposição de veículos e maquinários;
  • Equipamentos para indústria da aviação;
  • Bens perecíveis, como flores, frutas e alimentos no geral;
  • Medicamentos que exijam controle de temperatura, como vacinas;
  • Peças de arte;
  • Produtos de alto valor agregado; e
  • Animais vivos.

Muitos desses produtos seria impossível transportar via marítimo, devido ao cuidado que demandam e exigências para que cheguem em bom (e rápido) estado ao seu destino. O que inegavelmente torna o modal aéreo o mais indicado.

O que levar em conta na hora de embarcar no modal aéreo?

Existem fatores que devem ser levados em consideração na hora de decidir embarcar no modal aéreo. Entre esses fatores estão:

Dados da Carga

Peso, dimensões, fragilidade e valor são informações importantes para determinar se o transporte aéreo é adequado para a carga.

Dependendo do volume da mercadoria, apenas uma aeronave cargueira pode atender à demanda. Ou, no caso de uma carga projeto, poderia se considerar aeronaves específicas contratadas apenas para este transporte, o que torna a operação altamente custosa. Alguns destinos também só são operados por aeronaves pequenas, limitando assim o tamanho da carga que pode ser aceita.

Deve-se sempre deixar bem claro aos envolvidos no transporte acerca da fragilidade da mercadoria. O ideal é que além de uma embalagem segura, sempre haja etiquetas indicando o lado correto de manuseio, além disso que se indique caso se trate de um produto frágil, e se há restrição de empilhamento.

O valor da mercadoria é outro aspecto relevante para as negociações com a companhia aérea no momento da cotação, pois cargas que ultrapassam USD1.000,00 por cada quilo de seu peso são consideradas carga valor, ou carga valiosa. É previsto que esse tipo de mercadoria receba um tratamento diferenciado, o que certamente influenciará no valor do frete internacional.

Rota do embarque aéreo

Há dezenas de companhias aéreas no mercado, algumas com rotas regulares e praticamente diárias para os principais hubs aéreos. Destinos incomuns, naturalmente, têm uma frequência reduzida.

Por exemplo, para Miami há voos diários e diretos saindo dos principais aeroportos brasileiros, mas caso você queira mandar uma carga para Johannesburg, por exemplo, não haverá voos diretos partindo do Brasil, o que exigirá uma conexão, aumentando assim o tempo de trânsito.

Então, é importante verificar se a rota escolhida atende às necessidades de urgência da carga. Mas, de forma geral, as companhias aéreas oferecem rotas regulares, muitas vezes diárias, para as principais capitais mundiais, e são capazes de oferecer uma programação confiável.

Lead time

O tempo disponível para o transporte também deve ser considerado. O transporte aéreo é rápido, mas isso não significa não está sujeito a atrasos. Nesse sentido, é importante reservar uma margem de tempo extra.

Dentre os imprevistos mais comuns podemos citar:

  • condições meteorológicas adversas;
  • número baixo de passageiros;
  • substituição da aeronave;
  • manutenções emergenciais relacionadas à mecânica das aeronaves.

 O que pode dar errado em um embarque aéreo?

Embora apresente ótimas vantagens, o transporte aéreo também tem seu lado negativo, tais como: custo alto de frete e restrição a determinadas mercadorias, a exemplo das cargas perigosas e volumosas.

Além disso, citamos também alguns problemas que podem ocorrer no embarque aéreo. Veja a seguir:

Atrasos em Período de Backlog

Em momentos de grande demanda no comércio global, como datas comemorativas, as companhias aéreas podem enfrentar backlog, que seria o acúmulo de cargas em razão de uma demanda além do usual. Este backlog pode ocorrer no aeroporto de origem, de conexão ou de destino. Esse tipo de problema ocasiona atrasos no embarque das demais cargas que vão chegando nos aeroportos, já que ficarão na linha de espera para serem então despachadas.

Uma das formas de contornar situações de atraso é optar por tarifas de frete prioritárias, assim a carga terá preferência no embarque e conexões. No entanto, são muito mais caras que a tarifa de frete usual, cujos valores já são mais altos se comparados a outros modais.

No-Show

Se o remetente não disponibilizar a carga para companhia aérea dentro do deadline acordado, o embarque aéreo daquele produto será postergado ou, em alguns casos, a reserva cancelada. Nesse sentido, é importante ficar atento, pois algumas companhias possuem a política de multa pôr no-show.

Restrição de Envio

Algumas cargas podem ter restrições de envio, dependendo do tipo de produto ou seu destino.

Um exemplo dos últimos tempos tem relação com a guerra entre Rússia e Ucrânia. Diversas companhias aéreas pararam de operar para Rússia, e as que ainda operam passaram a impor restrições quanto ao tipo de mercadoria, permitindo somente produtos essenciais. Outros destinos menos usuais como Irã, Coréia do Norte, Iêmen e Síria, por exemplo, também são localidades para onde dificilmente será possível o envio de carga aéreo, em razão da situação instável que permeiam estas nações.

O envio de cargas perigosas pelo modal aéreo também envolve complicações. Entre elas podemos citar produtos inflamáveis, corrosivos, gases, baterias e diversos outros. Alguns deles são totalmente proibidos de se transportar na aeronave por conta do alto risco que representam, já outros são permitidos desde que observadas as regulamentações de documentação e embalagem apropriada.

A e.Mix facilita a gestão dos seus embarques internacionais

Diante do que vimos, fica nítido perceber a importância do transporte aéreo para o comércio internacional e suas peculiaridades.

O embarque aéreo é ideal para quem busca agilidade e segurança, porém suas entrelinhas devem ser observadas, já que nelas moram os possíveis problemas, difíceis de prever, mas inerentes à rotina do transporte aéreo.

É importante ressaltar que para garantir o sucesso do embarque aéreo, é necessário que os envolvidos cumpram as exigências e recomendações estabelecidas. Isso é o que garante um transporte aéreo seguro e eficiente.

Assim, para que seus embarques aéreos (ou de qualquer outro modal) tenham mais sucesso, é importante contar com um parceiro confiável que possa oferecer as melhores soluções para suas necessidades. A e.Mix é uma empresa especializada no fornecimento de tecnologia para empresas do Comex e pode ajudar a sua organização a voar ainda mais longe com nossas soluções tecnológicas personalizadas.

 

Cadastre-se para receber todos os artigos por e-mail em primeira mão

    Sugira um tema para publicarmos no blog

      Veja também
      Capacidade de contêiner: quanto de carga cabe em um?
      Capacidade de contêiner: quanto de carga cabe em um?

      Os contêineres são o principal recipiente para o transporte de cargas nos processos do comércio exterior. Assim sendo, são equipamentos adaptados para serem utilizados em diversos modais de transporte.

      Vale ressaltar que no modal marítimo, o contêiner não é considerado um tipo de embalagem, mas sim como parte da embarcação do navio.

      O início da utilização dos contêineres nas movimentações deu-se quando os comerciantes começaram a encontrar sérios problemas no armazenamento das mercadorias. Isso acontecia porque em cada viagem ocorriam avarias, deteorização e até perda das mercadorias, gerando prejuízos constantes.

      Leia mais
      Zona Franca de Manaus: Quais as vantagens em utilizá-la?
      Zona Franca de Manaus: Quais as vantagens em utilizá-la?

      A Zona Franca de Manaus (ZFM) é um modelo de desenvolvimento econômico implementado pelo governo para atrair investimentos e instalar empresas, principalmente na área industrial. Ela funciona como uma área de livre comércio de importação e exportação, oferecendo incentivos fiscais especiais. A administração da Zona Franca de Manaus é realizada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e abrange cerca de 600 indústrias. 

      Leia mais
      Importação de vacinas: como funciona e quais os pré-requisitos?
      Importação de vacinas: como funciona e quais os pré-requisitos?

      As diretrizes que regulamentam a importação de produtos sujeitos à Anvisa estão vinculadas originalmente à RDC nº 81/2008. Ela esclarece que somente empresas autorizadas pela entidade para exercerem a atividade de importação de vacinas podem importar bens e produtos sujeitos à intervenção da Anvisa. 

      A exceção são empresas importadores de alimentos, matérias-primas alimentares e alimentícios, que devem apresentar no momento da chegada do produto documento oficial de regularização da empresa expedido pela autoridade estatual ou local. 

      Além disso, existem empresas do ramo de cosméticos que importam matérias-primas para a fabricação de cosméticos e produtos de beleza. Para estes casos, não é necessária a autorização de funcionamento. 

      Leia mais