Transporte rodoviário: quais são os principais tipos de caminhões?

O transporte rodoviário é o mais utilizado para o escoamento da nossa produção nacional. Ele leva as cargas do fornecedor até o cliente final ou usa intermodalidade para transportá-las a partir de um ponto para o outro. A malha rodoviária brasileira possui mais de 1.700.000 km, permitindo que as cargas sejam transportadas com segurança e eficiência praticamente de porta a porta.

Transporte rodoviário: quais são os principais tipos de caminhões?

Quais os principais tipos de caminhões no transporte rodoviário?

O transporte rodoviário representa, aproximadamente, 6% do PIB brasileiro, sendo o modal que mais movimenta cargas, seja do mercado interno ou provenientes do exterior. Além disso, representa mais de 60% da receita líquida da maioria das empresas brasileiras, em especial dos segmentos da agroindústria e indústrias alimentícias.

Nesse sentido, vale salientar que existem veículos com determinadas características para a movimentação de grandes volumes de cargas, como as carretas, ou ainda os caminhões menores e mais ágeis, que realizam habilmente as entregas dentro das cidades.

No entanto, esse modal apresenta custos elevados se comparado a outros, incluindo valores de combustível, bem como de manutenção dos veículos e das vias de acesso. Por esses motivos existe um grande interesse em buscar soluções logísticas efetivas para o setor rodoviário.

Continue a leitura do artigo e saiba mais.

O que é o transporte rodoviário?

O transporte rodoviário é um modal importantíssimo para a logística de distribuição de mercadorias. É realizado com veículos automotores, como carros, ônibus, caminhões e carretas e, além disso, permite acesso fácil às cidades e a lugares distantes com eficiência e rapidez.

O desenvolvimento desse modal ocorreu no século XX com o crescimento das indústrias automotivas. A principal vantagem do transporte rodoviário é a sua flexibilidade para transportar cargas com menor manuseio, tornando-se assim uma parte importante da nossa economia interna.

O Contran (Conselho Nacional de Transporte) é o órgão que regulamenta o transporte de mercadorias nas rodovias e na região urbana, garantindo a segurança dos motoristas e dos outros usuários das estradas, além de preservar a sua infraestrutura.

O transporte rodoviário é o mais utilizado para o escoamento da nossa produção nacional. Ele leva as cargas do fornecedor até o cliente final ou usa intermodalidade para transportá-las a partir de um ponto para o outro. A malha rodoviária brasileira possui mais de 1.700.000 km, permitindo que as cargas sejam transportadas com segurança e eficiência praticamente de porta a porta.

Em resumo, fato é que o transporte rodoviário é essencial para a nossa economia e para a distribuição de mercadorias no país.

Quais são os tipos mais comuns de veículos no transporte rodoviário?

No transporte rodoviário existem diversos tipos de veículos utilizados conforme a demanda na movimentação das cargas, a depender do tamanho e capacidade de cada um.

Certamente são detalhes que merecem a atenção do gestor de transporte para definir o tipo certo de veículo, de acordo com a carga e o trajeto, principalmente, para regiões nas quais existem restrições no trânsito.

Veja abaixo os tipos mais comuns de veículos leves e pesados utilizados nas movimentações de cargas do transporte rodoviário, a saber:

  • veículo urbano de carga de menor porte para uso em áreas urbanas;
  • caminhão ¾ com 2 eixos e capacidade de 4 toneladas;
  • carretas com 2 ou 3 eixos ou cavalo trucado;
  • caminhão toco com 2 eixos e capacidade de 6 toneladas;
  • caminhão Truck com 2 eixos duplos e capacidade de 23 toneladas;
  • caminhões combinados como bitrem ou rodotrem.

Como são classificados os caminhões no transporte rodoviário?

Antes de tudo é importante salientar que a escolha inadequada de um caminhão para determinada carga poderá ser perigosa e onerosa, seja por conta do excesso de peso ou pela necessidade de manutenção constante do veículo.

Da mesma forma, a escolha pelo veículo com capacidade maior capacidade do que a demanda exige acaba sendo um desperdício, resultando em gastos excedentes no valor do frete (mais caro que o necessário) em uma carroceria com espaço sobrando.

Vejamos, pois, algumas das principais classificações de caminhões utilizados no transporte rodoviário.

Veículo Urbano de Carga (VUC)

Esse é um modelo de caminhão menor e muito utilizado nas movimentações em centros urbanos, seu tamanho versátil conta com largura de 2,2 metros, comprimento de 6,3 metros e capacidade de transportar até 3 toneladas. Além disso, trata-se de uma opção com limitação na emissão dos gases poluentes.

Caminhão semipesado

Também conhecido como caminhão Toco, possui um eixo simples frontal e traseiro de rodagem, com comprimento de até 14 metros e capacidade de transportar até 6 toneladas de carga.

Caminhão pesado

Pode ser chamado também de caminhão Truck, possui eixo duplo na carroceria e tem um bom desempenho que permite o transporte de cargas mais pesadas, pois pode transportar até 14 toneladas nos seus 14 metros de comprimento.

Carretas

São veículos utilizados no transporte rodoviário, divididos em duas partes: em uma delas se concentra a força motriz, as rodas de tração e a cabine do motorista, na outra parte é colocada a carga.

A parte do motor da carreta pode ser acoplada em diferentes módulos, como, por exemplo:

  • cavalo mecânico ou caminhão extrapesado;
  • cavalo mecânico trucado;
  • carreta de 2 ou 3 eixos;
  • carreta cavalo trucado;
  • bitrem ou treminhão;
  • rodotrem.

Quais são os tipos de caminhões no transporte rodoviário?

Recomenda-se conhecer os tipos de caminhões usados para transporte de cargas de acordo com a legislação em vigor para, assim, evitar perigos ou prejuízos.

Cargas leves, por exemplo, demandam caminhões menores e ágeis, como VUC, Toco e Truck, para atender a necessidades como distribuição de alimentos e coleta de lixo. Já para cargas maiores ou volumosas é necessário o uso de carretas com boa estrutura e força, tais como baú, frigorífico, tanque, cegonha ou plataforma, que performam perfeitamente trabalhos pesados e longas distâncias.

No transporte de grãos, madeiras ou combustíveis, por sua vez, utilizam-se carretas acopladas em módulos fechados ou abertos.

Em resumo, o tipo de caminhão a ser utilizado depende da natureza da carga e da tarefa a ser realizada. É importante conhecer a lei e escolher racionalmente para evitar problemas.

Automatize suas atividades no Comércio Exterior com a e.Mix

Com a e.Mix você acompanha as suas operações no transporte rodoviário de forma ágil e facilitada. Isso porque todas as consultas poderão ser feitas em tempo real e na palma de sua mão.

No mercado há mais de 25 anos, a e.Mix desenvolve softwares com soluções inovadoras que proporcionam o aumento dos seus resultados e ainda criam diferenciais positivos para os seus próprios clientes.

Venha descobrir o que temos para oferecer para a gestão de seus processos. Experimente ganhos de produtividade para a sua empresa e nos seus procedimentos operacionais.

Cadastre-se para receber todos os artigos por e-mail em primeira mão

    Sugira um tema para publicarmos no blog

      Veja também
      Como preparar sua empresa para auditorias aduaneiras
      Como preparar sua empresa para auditorias aduaneiras

      Auditorias aduaneiras são uma realidade inevitável para empresas envolvidas em atividades de importação e exportação. Estas inspeções são essenciais para garantir a conformidade com as […]

      Leia mais
      Entreposto aduaneiro: O que é e como funciona e qual sua vigência?
      Entreposto aduaneiro: O que é e como funciona e qual sua vigência?

      De acordo com o Art. 404 do Regulamento Aduaneiro, o entreposto aduaneiro é definido como um regime especial que pode ser usado tanto na importação como na exportação. Ele serve para que as empresas possam armazenar suas mercadorias realizando a liberação junto à RFB com um prazo maior do que o habitual ou até efetuar a retirada das mercadorias de forma parcial. 

      Dessa maneira, o entreposto possibilita a suspensão dos impostos até que todas as etapas sejam finalizadas, no caso da importação e da exportação. Dependendo de cada caso, algumas das vantagens destes regimes estão na possibilidade de as empresas aprimorarem seus planejamentos logísticos e reduzirem os custos das operações. 

      Leia mais
      Purchase Order: o que é e qual seu papel na importação?
      Purchase Order: o que é e qual seu papel na importação?

      Basicamente, a purchase order na importação é o documento que inicia a formalização do processo de compra de um produto importado. É a autorização da compra ou a confirmação da encomenda pelo comprador. 

      O pedido de compra contém todas as informações pertinentes ao produto ou serviço que será entregue, e estabelece a relação comercial a partir da aceitação do fornecedor. 

      Leia mais