INCOTERM CFR: conhecendo melhor esse INCOTERM

O INCOTERM CFR é específico para o modal marítimo e, de acordo com a tabela de INCOTERMS 2020, o CFR determina que o responsável por providenciar o transporte da mercadoria é do exportador. Portanto, cabe a ele arcar com os custos relacionados ao serviço de transporte que levará a carga até o porto, bem como o frete internacional.

INCOTERM CFR: conhecendo melhor esse INCOTERM

INCOTERM CFR: conhecendo melhor esse Termo Internacional de Comércio

Ao chegar até esse texto, é muito provável que você já saiba que os INCOTERMS são essenciais para o comércio internacional, certo? A exemplo do INCOTERM CFR, termo que significa Cost And Freight – em português, custo e frete.

Não podemos esquecer de que toda importação no nosso país começa com uma exportação de outro país. Por isso os INCOTERMS são cheios de regras, pois eles têm a missão de nortear os termos de uma venda internacional de um jeito claro e direto.

Este é um dos INCOTERMS mais populares mundo afora, já que se enquadra no modal marítimo, que é o modal mais econômico (aéreo, rodoviário etc.).

Independentemente do lado que você está (importador ou exportador), não deixe de ler este texto – nele você terá a oportunidade de compreender as particularidades do INCOTERM CFR.

Acompanhe!

 

O que são os INCOTERMS e para que servem?

Para os recém-chegados no comércio exterior, os INCOTERMS parecem complicados. Mas a sua compreensão é essencial para que importador e exportador estejam cientes dos trâmites logísticos envolvidos na negociação e, por consequência, visem seus lucros de forma ética e transparente.

De um modo geral, os INCOTERMS são regras relacionadas aos termos de venda de uma negociação internacional.  Isso quer dizer que são normas globais que servem para delimitar a responsabilidade de cada uma das partes envolvidas em uma negociação, como por exemplo|:

  • Quem será responsável por contratar o frete;
  • Qual é o local de entrega final da mercadoria;
  • Quem estará à frente do processo de nacionalização da carga;
  • Quem deverá desembaraçá-la.

Vale notar que foi em 1936 que a Câmara Internacional do Comércio publicou a primeira versão da tabela INCOTERMS, desde então, a tabela é atualizada, mais especificamente de 10 em 10 anos.

Atualmente, o comércio mundial utiliza a tabela INCOTERMS 2020, que foi publicada em janeiro desse ano. Esta última versão teve por consequência uma atualização de resolução da CAMEX (Câmara de Comércio Exterior). Note que a Resolução Camex n.º 21 de 2011 foi revogada e substituída pela Resolução nº 16 de 2020. Ambas podem ser consultadas de forma online – para mais informações, clique aqui

 

O que é o INCOTERM CFR?

Antes de qualquer coisa, saiba que existem INCOTERMS multimodais (que podem ser utilizados em qualquer tipo de transporte), e outros específicos para um determinado modal.

O INCOTERM CFR é específico para o modal marítimo e, de acordo com a tabela de INCOTERMS 2020, o CFR determina que o responsável por providenciar o transporte da mercadoria é do exportador. Portanto, cabe a ele arcar com os custos relacionados ao serviço de transporte que levará a carga até o porto, bem como o frete internacional.

Além disso, existem outras responsabilidades inerentes a este INCOTERM, conforme explicaremos a seguir.

Veja quais são:

Quando posso utilizar o INCOTERM CFR?

Como já mencionado, o INCOTERM CFR se refere ao modal marítimo. Logo, você poderá utilizá-lo em sua negociação somente se a mercadoria puder ser embarcada em um navio.

Outro ponto importante a ser esclarecido é o pagamento do frete. O CFR só pode ser aplicável quando o exportador concordar em pagar por ele.

Além do mais, o exportador deverá ter condições de providenciar ou contratar o serviço de desembaraço no local de origem.

Quais os deveres e responsabilidades do INCOTERM CFR?

Quando a venda acontece nos termos CFR, é o exportador quem fica com o controle do início da operação.

Na prática, ele se encarrega de entregar as mercadorias a bordo do navio, ou seja, omissões de porto, estadias extras e tantas outras despesas serão pagas pelo exportador. Então, o importador se responsabilizará pela carga somente depois que ela for embarcada.

Nesse sentido, além da embalagem e identificação da carga, atividades como reserva de espaço no navio, estufagem do contêiner, coleta da mercadoria na fábrica e todos os custos necessários para liberar a carga na alfândega e transporte são de responsabilidade do exportador.

Entretanto, a responsabilidade da carga deixa de ser do exportador e passa a ser do importador quando ela chega ao porto de destino combinado. Isso significa que situações que envolvem perda ou danos ao produto deverão ser gerenciadas pelo importador.

Quais as vantagens de utilizar o INCOTERM CFR?

As vantagens podem existir para ambas as partes da negociação. Se você é o importador e tem por costume desenvolver novos fornecedores, já deve ter experimentado situações de total insegurança em relação ao local de origem da carga ou porto de origem.

Em casos como este, firmar uma compra baseada nos termos CFR lhe poupará esforço de trabalho, pois o exportador certamente terá mais know-how do que você com relação ao transporte local e às burocracias alfandegárias na origem.

Sob o ponto de vista da operação, o INCOTERM CFR é confortável para o importador. Por outro lado, tenha em mente que o custo dos serviços de despachante e agenciamento de carga, por exemplo, estarão contemplados no preço da mercadoria. Dificilmente você terá uma visibilidade clara em relação ao custo desses serviços, uma vez que não será você quem irá contratá-los.

Por outro lado, se você é exportador, terá condições de negociar condições de pagamento e até mesmo descontos que possam lhe dar vantagem competitiva. Um exemplo é a possibilidade de conciliar a data de embarque de outras vendas e, dessa forma, economizar nos honorários do despachante que fará os trâmites documentais para a liberação das cargas na alfândega de origem.

Em outras palavras, esteja atento ao melhor custo do frete e do desembaraço na hora de formar o preço de venda e então você terá condição de garantir uma boa margem de lucro.

Otimize os seus processos de importação e exportação com a e.Mix

Aqui na e.Mix temos como meta simplificar o dia a dia de quem lida com os detalhes operacionais, tanto nas exportações quanto nas importações, por isso nosso portfólio conta com dez softwares capazes de deixá-lo(a) no controle de tudo.

Para saber mais, clique aqui, ou então entre em contato conosco por meio do formulário online disponível em nossa página e descreva de que forma podemos te ajudar.

Cadastre-se para receber todos os artigos por e-mail em primeira mão

    Sugira um tema para publicarmos no blog

      Veja também
      Regime aduaneiro especial: quais os riscos envolvidos na sua utilização?
      Regime aduaneiro especial: quais os riscos envolvidos na sua utilização?

      Regimes Aduaneiros Especiais são conjuntos de regras e procedimentos que facilitam a importação e exportação de mercadorias em determinadas situações.

      Em suma, essas modalidades foram criadas para incentivar o comércio exterior e aumentar a competitividade das empresas nacionais no mercado global.

      Cada modalidade oferece benefícios e vantagens diferentes e podem ser utilizados de acordo com as necessidades de cada empresa e operação.

      Leia mais
      Declaração de trânsito aduaneiro: O que é e por que utilizar?
      Declaração de trânsito aduaneiro: O que é e por que utilizar?

      A DTA, sigla para Declaração de Trânsito Aduaneiro, é um regime aduaneiro especial que formaliza a utilização de um caminho composto entre zonas primária e secundária para atendimento de uma exportação e/ou importação. Uma carga que está passando por trânsito internacional não precisa, necessariamente, utilizar apenas a zona primária mais próxima. Ao contrário, é possível conciliar a utilização de um local secundário que seja mais acessível geograficamente com um local em que a carga efetuará seu trânsito internacional. Com isso, utilizamos a logística interna a nosso favor para ganhar tempo, eficiência e, muitas vezes, investimento financeiro. 

      Leia mais
      Redução de custos na importação: Como gerenciar seus processos?
      Redução de custos na importação: Como gerenciar seus processos?

      O custo de importação é composto por diversos detalhes que devem ser observados. Em primeiro lugar, o custo da mercadoria propriamente dito, que é o preço do produto na origem. Em segundo estão os custos da operação logística, como fretes internacionais, seguros e outros que dependem do modal de transporte a ser utilizado, seja aéreo, marítimo ou rodoviário. Por último, mas não menos importante, temos os custos tributários, que representam o maior peso na operação. 

      Leia mais